O STJ ENQUANTO CORTE SUPREMA